ARTIGO: Criança merece livro no Natal

Updated: Feb 9



O livro precisa ser visto como um brinquedo, como um objeto de diversão! Precisamos desmistificar que livros estão vinculados só à escola. Uma ideia ultrapassada, na qual não existe diversão na ficção ou no conhecimento. Nós, adultos, esquecemos que o livro estabelece um jogo com o leitor. Se for um bom livro, então será um jogo inteligente e desafiador.


O Natal é carregado de simbologias. Por exemplo, a árvore de Natal onde vamos colocar os livros que vamos dar de presente. Se você preferir, ao invés de colocar embaixo da árvore, você pode deixar para o Papai Noel entregar pessoalmente. Eu inclui na minha lista de Natal estas histórias lindas!

"Olivia ajuda no Natal" (obra de Ian Falconer, tradução Deisa Chamahum Chaves, publicado pela editora Globo)

Olivia é uma porquinha muito conhecida e adora contar as suas aventuras. Na noite de Natal. Olivia quer ser prestativa e ajudar a sua mãe a organizar tudo para a chegada do Papai Noel. Mas a ansiedade e o jeito meio atrapalhado de Olivia vai transformando essa ajuda em uma noite muito engraçada. O premiado ilustrador americano Falconer sempre mistura em suas ilustrações fotografias de outros artistas, conhecidos ou não. Uma homenagem reafirmando que não existem fronteiras entre as artes.

"A mais bela noite de Natal" (livro de Sophie Beaude e Jérôme Ruillier, com tradução de Irami B. Silva e publicado pela Escala Educacional)

Em tom de segredo, um avô e seu neto compartilham o espírito natalino. Uma história que traz a expectativa, a surpresa, o novo, o singelo, as relações entre as pessoas. O ilustrador Jérôme Ruillier desenvolve seus desenhos com traço muito próximo ao da criança que está começando a desenhar. O lápis de cor segue várias direções, e não uma única, preenchendo as imagens de forma não linear ou uniformizada. Um recado do artista para deixarmos a criança livre no seu processo de criação, sem exigir que ela pinte sempre dentro de um limite pré-estabelecido, na mesma direção e sem sobrepor as cores.

"Porque colocamos estrelas nas árvores de Natal" (livro de Nadia Heppell, com tradução de Luciana Fiuza Roberto editado pela Aletria)

O cão Lurijo quer se destacar em um concurso de árvores de Natal e ganhar o prêmio: um bolo de chocolate! Esta história apresenta ao leitor um olhar sobre a simplicidade, sobre tudo que está ao nosso redor e sua possibilidade de inovação. Zara, amiga de Lorijo, ilumina a história, com suas estrelas, para deixar mais evidente que a verdadeira diferença acontece quando temos amigos e entendemos a necessidade de cooperar, estabelecendo importantes laços afetivos no nosso dia a dia. Nadia, com suas pinceladas de tinta a óleo, traz os detalhes natalinos sempre num recorte de zoom nesta grande tela que é a página do livro.


"O Natal de Manuel" (obra de Ana Maria Machado e Cecilia Esteves, editora Global)

O nome Manuel é considerado uma variante de Emanuel, que tem origem no hebraico Immanuel, composto pela junção dos elementos immánu, que quer dizer "conosco" e El, que se refere a "Deus”, “Senhor”. Deus conosco! Nesta história André é um menino “perguntadeiro” que está atrás do significado do Natal. De pergunta em pergunta, para os pais, para a irmã, para a avó, para os tios, para a cozinheira, para os amigos, o Natal se revela de forma diferente para cada pessoa. Mas uma grande surpresa a escritora Ana Maria Machado reservou para o final.


Leia também: NOVOS EPISÓDIOS DO PODCAST QUINDIM ENTREVISTA JÁ ESTÃO NO STREAMING CURSO ONLINE PERCORRE AS MÚLTIPLAS FACETAS DE BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS

INSTITUTO DE LEITURA QUINDIM

CNPJ 31.881.967/0001-53

R. Sinimbu, 1670 - 6º andar - Centro - Pátio Eberle - CEP 95020-001

Caxias do Sul - RS, Brasil

©2020 por Instituto de Leitura Quindim